Avaliação das Boas Práticas na Atenção ao Parto e Nascimento em Maternidades da Rede Cegonha

O conhecimento da situação de atenção ao parto e ao nascimento e dos processos de gestão são fundamentais para redução da morbimortalidade materna e neonatal. Considerando as iniciativas da Secretaria de Atenção Primária em Saúde do Ministério de Saúde (SAPS/MS) centradas na qualificação da Atenção ao Parto e Nascimento, destacou-se a necessidade de apoiar e ampliar as ações já implementadas no âmbito da Rede Cegonha. A Rede Cegonha foi lançada em  2011 pelo Ministério da Saúde como forma de alcançar mudanças no modelo de atenção ao parto e nascimento no SUS. Buscava ampliar o acesso e a qualificação das práticas de cuidado e gestão na assistência à saúde da mulher e da criança.

Para aprimoramento da estratégia e de apoio à tomada de decisões foi realizada uma avaliação dos componentes parto e nascimento da Rede Cegonha. Uma parceria do Ministério da Saúde com a Fundação Oswaldo Cruz e a Universidade Federal do Maranhão. Foram avaliadas 606 maternidades conveniadas ao SUS com plano de ação da Rede Cegonha, responsáveis por mais de 50% dos partos do país, em 2017. A avaliação envolveu gestores/as, trabalhadores/as de saúde e puérperas, além de ter realizado análise documental e de observação da ambiência. O processo avaliativo foi construído reforçando a corresponsabilidade tripartite e estimulando coletivos, de modo a colocar em análise suas práticas e seus modos de organização do trabalho. Este projeto objetivou avaliar o grau de implantação das boas práticas na atenção ao parto e nascimento nas maternidades públicas do Brasil, conforme referencial da Rede Cegonha, Ministério da Saúde.

A edição “Avaliação das Boas Práticas na Atenção ao Parto e Nascimento em Maternidades da Rede Cegonha”, da revista Ciência e Saúde Coletiva, discute sob distintas abordagens e análises os resultados encontrados no processo avaliativo. Essa edição especial contém dezessete artigos originais que debatem os desafios da Rede Cegonha. É possível encontrar reflexões sobre as iniquidades no acesso ao parto (por raça/cor, idade, deficiência motora, visual, auditiva, dentre outros);  a estrutura física e a transição do modelo de ambiência em hospitais que realizam partos na Rede Cegonha; e o processo de trabalho na atenção integral ao parto e nascimento. Além disso,  aspectos metodológicos da avaliação como a criação e utilização de uma matriz de julgamento do grau de implantação das ações de parto e nascimento e a devolutiva estadual dos resultados da avaliação a gestores/as e trabalhadores/as também são discutidos. A síntese desses resultados e discussões pode ser acessada no link abaixo. 

Download: Atenção ao Parto e Nascimento em Maternidades da Rede Cegonha (Sumário Executivo)

Menu